quarta-feira, 7 de março de 2018

SOBRE SER DESEJADO E SER DESEJANTE

thinkpink - andrewkuttler
Ser desejado está na ordem da demanda que se endereça ao olhar do outro sobre a si mesmo, ser desejante está em convocar o próprio olhar sobre a falta que se constitui.

Ser desejado é uma demanda que se dá ao outro, muitas vezes a ilusão que se edifica pode ser descontruída em milésimos de segundos, por estar sempre enraizada numa esfera narcísica da terra firme da área movediça. A frustação nasce justamente de não poder emoldurar o olhar do outro para si mesmo, uma vez que, é preciso muito mais que ser interessante para o outro.

Trata-se da essência [sem borda] de se haver com o faltante que se constitui em cada um de nós. Na análise aprende-se muita coisa, uma delas é que não se estilhaça a fantasia do outro por haver em si mesmo um enorme teto de vidro. A falta não se trata de um vazio, mas se alimenta dele para produzir saberes que impulsionam às transformações do sujeito.

Em nome da linguagem do faltante é que se produz desejo, em que o sujeito começa a compreender suas complexidades e o que constitui sua falta. Ser desejante não é uma tarefa simples e de pouco trabalho, demanda tempo e muita espera. E nós, sujeitos do contemporâneo, desaprendemos a esperar.

Tudo precisa ser em tempo real, não há espaço para aprender a esperar. Por isso, muitos não suportam o peso da experiência do processo psicanalítico. Para desejar, amar e viver a espera é preciso aprender a desacelerar, o saber sobre si mesmo leva muitos anos e mesmo que se constitua algum saber dessa ordem, ainda existirá algo para problematizar, questionar e tentar produzir saberes que estruturam o sujeito do inconsciente.

Mas, pode ser que eu esteja errado sobre tudo isso. Afinal de contas, quem é que quer esperar e viver a angústia desse processo, quando o tempo vive a passar?

Não há mais nada doloroso que aprender que é preciso perder algumas coisas, para que se possa ganhar.


4 comentários:

  1. Excelente! [...] "Para desejar, amar e viver a espera é preciso aprender a desacelerar".
    Vale compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Raquel, que lindo você por aqui. É isso mesmo, avante junto ao desejo.

      Grato por estar sempre por aqui, dando sua contribuição. <3

      Excluir
  2. Anônimo21:57:00

    Não há nada mais doloroso aprender, as vezes para ganhar vamos ter de perder..... Quem quer perder? Pessoas dispostas a perder matéria e aumentar a essência! Acho isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem! Mas está ligado não somente ao material, trata-se de algo mais a ser pedido, que está em si mesmo!

      Excluir

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.